UF de Santa Clara e Castelo Viegas

Caracterização

Santa Clara e Castelo Viegas

A União das Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, constituída em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, pela agregação das antigas 
freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias), Diário da República, 1.ª Série, n.º 19.

Santa Clara

Confronta com as freguesias de São Martinho do Bispo, Castelo Viegas, Assafarge, Antanhol e com as freguesias de Santo António dos Olivais, Almedina e Santa Cruz pela margem do Rio Mondego.
 
A data da criação da freguesia 1850 foi considerada juntamente com a freguesia de Santo António dos Olivais uma freguesia inteiramente urbana.
 
Do Extracto da descrição elaborada em 1983 os limites da freguesia são:
-Começando a meio do Rio Mondego e á esquerda da ponte do caminho-de-ferro que vai para Bencanta, segue ao longo deste até à Ribeira dos Covões;
-Vai ao longo da Ribeira dos Covões, sempre à esquerda e para sul, até á Rua Adelino baptista, em Ribeira da Póvoa;
 
-Percorre um pouco a continuação da Rua Adelino baptista, para leste, e depois inflecte para sueste, pelo Caminho das Vinhas que se dirige ao Bordalo e até ao cruzamento da EN 341 e a Rua 10 de Junho, do Bordalo;
-Inflecte para sudoeste, subindo até ao marco geodésico Pombal, da Póvoa, atravessa uma estrada, e desce direito ao caminho que passa na Quinta da Vinha Moura;
 
- Segue ao longo do caminho, inflectindo, no Pinhal das Lágrimas, para sueste até Cruz dos Morouços, inflecte novamente para sul, pelo Casal das Fontaínhas, cruza a EN1, na Quinta da Bicha e continua sempre ao longo do caminho até ao cruzamento com a estrada, (que se dirige para Carvalhais de baixo) onde inflecte para este;
 
-Continua até ao caminho que se dirige para norte, passando pela Quinta do Pinheiro e até à Quinta do canal, onde volta a inflectir para sul, até um caminho que vai para os Pereiros;
 
-Inflecte depois para Leste, sul, norte e outra vez leste e norte, por um trajecto irregular e mal definido que, depois de atravessar a EN 110-2, vai até meio do Rio Mondego;
-Desce sempre pelo meio do Rio Mondego até à ponte de caminho de ferro. 

Castelo Viegas

A freguesia de Castelo Viegas localiza-se a Sudeste do concelho de Coimbra, distando cerca de 7 quilómetros da sede do concelho, sendo constituída pelos lugares de Castelo Viegas, Casal de S. João, Conraria, parte de Vale de Cabras e Marco dos Pereiros. 
 
Os seus limites confinam, a Norte, com Santo António dos Olivais, servindo o rio Mondego de fronteira natural, a Noroeste com Santa Clara, a Oeste com Assafarge, a Sul com Almalaguês e a Este com Ceira..
O território está organizado em valeiros, com retalhos de terrenos e povoamento concentrado.
 
A maior parte da população desta freguesia trabalha em Coimbra. Este facto pode ser facilmente comprovado através dos movimentos quotidianos que os residentes efectuam entre casa e o local de trabalho. 
 
Cada vez mais a freguesia é procurada como local de residência, notando-se através do aumento significativo da construção de moradias que se tem verificado sobretudo nos Pereiros, Casal de S. João e Quinta da Madalena. A proximidade de Coimbra, o preço dos terrenos, as acessibilidades e a beleza paisagística são, concerteza, os factores que mais têm contribuído para a fixação da população nos últimos anos.
 
A maior parte da população activa da freguesia pertence ao sector terciário (62%), seguindo-se os sectores secundário (35%) e, por último, o primário (3%). Assim sendo, a maior parte da população da freguesia exerce uma actividade relacionada com os serviços. 
 
Como o relevo da freguesia é bastante acidentado, a dimensão das parcelas agrícolas é reduzida. Portanto, a paisagem agrária dominante é de minifúndios, onde os agricultores a tempo parcial cultivam sobretudo produtos hortícolas (batatas e couves), frutícolas (citrinos), milho, vinha e olival.
 
Há algumas quintas onde a agricultura e a pecuária têm grande importância, destacando-se a da Conraria, na margem esquerda do rio Ceira, a Quinta da Cavada, a Quinta de S. Jorge e a Quinta da Srª do Carmo, na margem esquerda do Mondego e ainda a da Urgeiriça. Nestas quintas existem estufas e viveiros, sendo já praticada a agricultura biológica nalgumas explorações.
 
No que concerne às actividades pertencentes ao sector secundário, é de salientar que existem algumas indústrias, designadamente, do calçado, mobiliário, carpintaria e serralharia; há a subestação de Pereiros da Rede Eléctrica Nacional (REN); empresas de construção civil e obras públicas; de climatização, electricidade, saneamento e esgotos; e oficinas de reparação de bicicletas, motas e automóveis.
 
O sector terciário tem verificado algum crescimento nos últimos anos, destacando-se as áreas comerciais (padarias, mercearias, cafés, restaurantes, talho, farmácia, papelaria, comércio de móveis, pronto a vestir, loja de ferragens, loja de produtos agrícolas, loja de móveis), serviços de educação (escolas do ensino básico do primeiro ciclo de Castelo Viegas e de Pereiros, e Escola Superior Vasco da Gama), posto de correios, serviços de saúde (extensão do centro de saúde, Hospital de Sobral Cid, dentista e recolhas para laboratório de análises clínicas), cabeleireira, fotógrafos, agência funerária e stand de automóveis.

Santa Clara e Castelo Viegas


Descarregue aqui a APP GESAutarquia,

© 2023 UF de Santa Clara e Castelo Viegas. Todos os direitos reservados | Termos e Condições | * Chamada para a rede móvel/fixa nacional

  • Desenvolvido por:
  • GESAutarquia